Converso muito com uma amiga minha sobre os inúmeros machismos que eu sofro no trabalho diariamente, e ela sempre me responde assim:
“Eu nunca sofri machismo no trabalho. Só ouvia umas piadinhas na faculdade, mas nada grave…”

Sou uma das diretoras de T.I. na empresa em que eu trabalho e sou a ÚNICA MULHER DIRETORA em toda essa empresa no Brasil. Estou sempre tentando arrumar companheiras mulheres para trabalhar comigo, mas não é muito fácil convertê-las em diretoras.

Um dia essa minha amiga demonstrou interesse em também ser diretora e eu imediatamente comecei a mexer meus pauzinhos para colocá-la na diretoria junto comigo. Essa minha amiga é simplesmente a MELHOR FUNCIONÁRIA que temos na empresa aqui no Brasil. Simplesmente a melhor! Na minha cabeça seria óbvio o seu convite para a diretoria.

Porém ao conversar com o meu chefe sobre sua promoção, a resposta já veio pronta e pré-anunciada: “NÃO! Sempre soubemos da extrema competência de sua amiga, mas ela realiza outras atividades concorrentes fora da empresa e por isso jamais poderá ser diretora aqui.”

Como é que é?!?!

Como assim??? Eu também tenho atividades concorrentes fora da empresa e sou diretora… Todos têm atividades fora da empresa, praticamente todos os diretores… Isso é normal!! Ela é a melhor funcionária que temos hoje disparadamente! Os melhores números são todos dela!

Porque será que os pré-requisitos para uma mulher atingir um certo patamar em sua carreira são sempre TÃO MAIS ALTOS? Porque o nosso teto está sempre acima do teto dos homens? Porque somos tão mais exigidas para fazermos os mesmos serviços?

Não adiantou eu retrucar. Minha amiga na diretoria era uma possibilidade que já tinha sido estudada anteriormente e estava fora de questão.

Foi aí que eu lembrei que minha indicação para a diretoria nunca veio do Brasil. Eu já era diretora nos Estados Unidos, indicada por uma amiga que foi a primeira diretora da empresa globalmente. E ficou muito claro pra mim, que se eu estivesse no Brasil toda a minha vida, eu jamais teria chegado a diretoria por aqui!

Eu então não pensei duas vezes. Rapidamente recorri aos meus contatos nos Estados Unidos e indiquei a minha amiga a diretoria, mas não pela equipe do Brasil, e sim através da equipe americana, para que ela ocupasse o cargo aqui no Brasil.

Dito e feito! Minha amiga passou com louvor em todas as entrevistas, seus números de produtividade são altamente surpreendentes! Ela agora é a mais nova diretora de TI aqui comigo no Brasil.

Meus chefes aqui no Brasil simplesmente deram uma risadinha e fingiram nem se importar muito com o assunto. Disseram que ficaram felizes com a promoção dela.

Eu nunca falei para ela essa história. Ela não sabe a verdade, só sabe que virou diretora e pronto. Até hoje ainda acha que nunca sofreu machismo no trabalho. Deixa ela pensar assim, será mais feliz. Eu a invejo.

 

Como o ambiente de trabalho mina a ambição das mulheres por altos cargos executivos

Anúncios